Beatificação em Campinas

"Adela agora não é apenas da família marianista, mas de toda Igreja e do mundo.". Irª. Zilda M. da Silva, fmi, partilha conosco a experiência de viver desde Campinas a celebração da beatificação, assim como as atividades realizadas no Brasil.


Em Campinas o dia da Beatificação de Adela de Batz de Trenquelléon foi vivido em clima de alegria e em família. Leigos, religiosas e religiosos se reunirão em algumas atividades para festejar este tão esperado e celebrado dia.


As comemorações da beatificação em Campinas foram iniciadas no dia 08 de junho, quando houve a participação no Programa da Rádio Brasil transmitido ao vivo e por facebook. Estiveram presentes no programa: Marinho da CLM Vigor, Irª. Zilda,fmi e Ir. Victor, sm. Durante a hora de programa foi divulgada a Espiritualidade Marianista, nosso espírito de Família e o principal para este dia foi o dar a conhecer nossa fundadora Adela de Batz de Trenquelléon. Encerramos o programa com a Oração pela Canonização de Madre Adela.


No domingo (10) reuniram-se no Centro Marianista Cana, como família e juntos acompanharam, direto de Agen – França, a Celebração Eucarística presidida pelo Cardeal Ângelo Amato, prefeito da Congregação para a Causas do Santos no Vaticano, representante do Papa Francisco. A vibração e a alegria ao escutar a leitura do decreto da Beatificação de Maria da Conceição, seu nome de religiosa e no mundo Adela de Batiz de Trenquelléon, tomou conta de todos.


Na homilia proferida pelo Bispo de Agen, D.Herbreteau, foi destacado alguns aspectos de Madre Adela, como o serviço aos pobres e necessitados, o espírito missionário e o amor aos jovens. O dom da amizade e a importância da educação cristã recebida de sua família, também foram traços citados, além de Adela como modelo para os jovens e educadores. O bispo de Agen ainda citou as quatro doutoras da Igreja (Santa Hildegard de Bingen, Santa Catarina de Senna, Santa Tereza, Santa Terezinha de Lisieux) fazendo alusão aos escritos de Adela.


Adela, mulher de fé, de uma bondade delicada e atenta, inculca em suas irmãs um zelo missionário que a levava a dizer: “que deveriam ir até o fim do mundo para salvar uma só alma”. Ardorosa, morreu em 10 de janeiro de 1828, com apenas 38 anos, acolhendo seu Senhor com estas palavras “Hosana ao Filho de Davi”.


O domingo (10), foi encerrado com a Eucaristia, celebrada na Paróquia São João XXIII. O pároco Pe. Alexandre Missio, presidiu a celebração e concelebrou o Pe. Isao, ambos amigos da família marianista e também marianistas de coração. A comunidade paroquial acolheu toda a família marianista, preparando lindos cantos de Adela para a celebração. Após a missa, foi cantado os parabéns e partilhado um bolo. Adela agora não é apenas da família marianista, mas de toda Igreja e do mundo.


Notícias Recentes
Arquivo
Procurar por tags

Leigos      -      Religiosas      -      Religiosos

sm_logo_pequeno_edited.png

Campinas      -      Bauru    -      Marília